/ Por /   Viajando a cavalo / 0 Comentários

Preparação dos cavalos

Uma expedição como essa não se faz sem que o conjunto formado pelo cavaleiro e seu cavalo estejam em condições adequadas tanto física como mentalmente.
Os cavalos começaram a ser preparados fisicamente para a longa viagem, durante 105 dias antes do início da cavalgada. Foi realizado um plano de condicionamento elaborado pelo médico veterinário Paulo Fasano, reconhecido por seu trabalho com a modalidade de Enduro Equestre.
O esforço prolongado e repetitivo, as agruras topográficas das montanhas e a aridez do terreno demandam elevados teores de energia e constituem grande desafio para a saúde da musculatura e dos cascos dos animais. O atendimento às necessidades nutricionais dos cavalos é fundamental para o sucesso da cavalgada.

Segundo Frederico Simioni, responsável pelo bem-estar animal durante a expedição, “Uma das formas de fortalecimento do vínculo entre cavalo e cavaleiro é a adoção das boas práticas de bem-estar animal, desta forma, aumentamos a frequência de interações positivas com os animais, tornando-os mais confiantes na presença do cavaleiro”. Sete profissionais da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Unesp de Jaboticabal, participam do trabalho de avaliação do bem-estar animal desta Cavalgada, focando em dois aspectos: comportamental e fisiológico. São eles: Prof. Dr. Mateus J. R. Paranhos da Costa, MV Pedro Henrique Esteves Trindade e Paula Moreira da Silva (testes Comportamentais), Prof. Dr. José Corrêa de Lacerda Neto, Msc. Nara Bernardi, Msc. Vinícius Canello e Msc. Karina Calciolari (testes de esforço físico).

De acordo com o Dr. Paranhos, os testes comportamentais já foram validados previamente por outros grupos de pesquisa e são muito utilizados no meio científico, são simples e de fácil aplicação, tornando possível realizá-los em condições de campo.

A avaliação de condições físicas é fato conhecido, mas preparar mentalmente o cavalo é algo mais complexo. Na Alemanha, testes de comportamento foram desenvolvidos há décadas para a seleção de cavalos de hipismo. Diante disso, além dos testes de esforço físico foram realizados testes comportamentais com o propósito de avaliar se os cavalos estavam preparados para enfrentar os desafios mentais encontrados durante a viagem. As conclusões desses testes comportamentais atestaram baixas reações emocionais a novas situações ou a novos objetos e boa interação com o homem e o meio ambiente.

Antes do início da viagem os equinos foram submetidos a dois testes comportamentais: de aproximação e de reatividade ao medo. Nos testes de esforço físico, foram avaliados em trilhas com percursos de 40 km com mensurações de frequência cardíaca e respiratória, coleta de sangue venoso, dentre outros.

marcelo_mastrobuono
[Fotografia de Marcelo Mastrobuono]
/ Por /   Viajando a cavalo / 0 Comentários

Grandes viagens, grandes cavaleiros

Começo a narrativa de nossa Cavalgada do Sertão ao Mar Pelos Caminhos da Estrada Real, com algumas referências de grandes cavalgadas.

Acredito que todo cavaleiro que ama cavalgar como eu, sonha em realizar grandes viagens. Eu já li vários livros de grandes travessias a cavalo ao redor do mundo, e acompanho as viagens dos Cavaleiros de Longo Percurso que são divulgadas no The Long Riders Guild www.thelongridersguild.com

No Brasil os irmãos Pedro e Jorge Aguiar, acompanhados do Jose Reis dos Santos, realizaram a Cavalgada Brasil 14 mil (que se transformou em 25 mil) foram os precursores e primeiros brasileiros a fazer parte do The Long Riders Guild. O Pedro para mim é uma referência, não só pelos feitos que realizou, como também pela pessoa especial que tive a oportunidade de conhecer. A alguns anos fui até Minas aonde morava o Jorge especialmente para conhece-lo. Infelizmente hoje ele está cavalgando nas montanhas do céu.

São vários os cavaleiros e amazonas no Brasil que já realizaram cavalgadas que eu poderia mencionar, mas seriam muitas histórias nesse espaço que tem outro objetivo. Por isso, resolvi contar a história de uma cavalgada que tem um diferencial interessante, o objetivo da viagem (chamada de raide):

Raide do General Maranhão.

Jose Peres de Albuquerque Maranhão nasceu em Curitiba em 1905, fez carreira militar, tendo dentre outros postos, sido diretor da Coudelaria de Tindiquera, da Remonta do Exército em Araucaria, PR e Comandante do 4º Regimento de Cavalaria no Rio Grande do Sul. Em 1959 passou para reserva como General de Brigada. De 1930 e 1940 participou de provas de Concurso Completo de Equitação e empreendeu diversas viagens a cavalo, que chamava de “Raides”.

Em 1959 realizou o que chamou de “Grande Raide” com o objetivo de levar a espada de Oficial do Exército para a formatura de seu filho Paulo Armando na AMAM. (Academia Militar das Agulhas Negras). Saiu dia 29 de outubro de Curitiba, montado no cavalo Coturno ( RAÇA) com destino a Resende, Rio de Janeiro, aonde chegou em 17 de dezembro, dia da formatura do filho na AMAM.

No raide, acompanhado por um ordenança, percorreu 902 kms, tendo cavalgado 22 dias, com 8 dias de descanso intercalados.

20151110_grecia_camboja_01flamula alta resolução

Cavalgada do Sertão ao Mar Pelos caminhos da Estrada Real

A ideia de realizar a Cavalgada do Sertão ao Mar Pelos Caminhos da Estrada Real, nasceu após eu e o Jose Henrique Castejon concluirmos nossa Cavalgada de 750 kms no Caminho Frances de Santiago Compostela, em 2012. Queríamos fazer no Brasil algo com no mínimo o dobro do tamanho e tempo de viagem. A Estrada Real foi a escolha natural.

Sabendo da oportunidade de divulgação que uma viagem como essa proporciona, decidimos colocar a Promoção do Bem Estar dos Equinos, como objetivo da Cavalgada.

Nosso projeto recebeu importante apoio de algumas empresas as quais destaco e agradeço:
BEABISA Agropecuaria, Duprat, Ferraduras Brasil, Maré Shopping, Ouro Fino e Selas Pasfil.

1 2 3 4